sábado, julho 23, 2005

Saudades do Mato Grosso III

.

Estrada de terra, areião do cerrado.
A poeira levanta e desce rapidinho,
nem incomodar incomoda.

Terrão a perder de vista,
de onde a vista avista algum coisa,
sempre a mesma, o cerradão.

Sem asfalto e com poeira,
por lá é mais gostoso
do que por cá.

Bom, bem feito, quem mandou chegar até aqui e ler esse trem.
Concordo com você, pobre leitor,
a foto passa, o escritor nem pensar.

.

Um comentário:

Valerio disse...

Gostaria de ficar mais um pouco...