segunda-feira, maio 23, 2005

Esperança num futuro próximo


Num dia ensolarado de 2007 um homem idoso se aproxima do Palácio da
Alvorada, depois de atravessar a Praça dos Três Poderes, e fala com o
"Dragão da Independência" que monta guarda à residência do presidente da república:

"Eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Lula."

O Soldado olha para o homem e diz:

"Senhor, o Sr. Lula não é presidente e não mora mais aqui há algum
tempo."

O homem agradece, diz "Está bem" e se vai.

No dia seguinte, o mesmo homem idoso se aproxima do Palácio da Alvorada
e fala com o mesmo "Dragão":

"Eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Lula."

O Soldado novamente disse: "Senhor, como falei ontem, o Sr. Lula não
é presidente nem mora mais aqui há algum tempo."

O homem agradece novamente e se vai.

No terceiro dia, o mesmo homem idoso se aproxima do Palácio Alvorada e
fala com o mesmo guarda:

"Eu gostaria de entrar e me entrevistar com o Presidente Lula."

O soldado, compreensivelmente irritado, olha para o homem e diz:

"Senhor, este é o terceiro dia seguido que o Sr. vem aqui e pede para
falar com o Sr. Lula. Eu já lhe disse que ele não é mais o presidente nem mora
mais aqui há algum tempo. O Senhor não entendeu?"

O velho homem olha para o brioso soldado e diz:

"Sim, eu compreendi perfeitamente, mas eu adoro ouvir isso!"

O soldado fica em posição de sentido, presta uma vigorosa continência
e diz:

"Até amanhã, Senhor!"



Pois é, como a Esperança é a última que morre, é capaz, não, é provável, não, é praticamente uma certeza que eu mesmo morrerei deixando viva a Esperança de um país melhor e essas coisas todas que acompanham essas palavras.

.

Um comentário:

Marcone disse...

E depois, não querem ser comparados a um peru bêbado em dia de carnaval.

Só tenho uma coisa a dizer sobre essa comparação infeliz: pobre do peru!